domingo, 19 de junho de 2016

ai, meninas

Ai, meninas, de vez em quando até perdem a graça. Seria muito mais bonito viverem do que imaginarem a vida vivida na vida dos outros. Bem sei, é um engodo que não se escolhe nem se decide, sente-se, e na hora h já estão a imaginar o que seria estar com ele na mesma cama, o minuto m em que entraria pelo vosso corpo sem pedir licença, o instante i em que as levaria da terra aos céus, num segundo s de um delírio inconsequente. Bem sei, os olhos dele chamam mais do que uma voz grossa de rouquidão sexy, penetram no vosso imaginário como quem enfia uma língua numa boca tão familiar, quase parece que miram de perto o vosso corpo, por dentro, por fora, de frente, de lado, por trás, pela frente. Sim, estou consciente de que a barba que lhe percorre a cara vos pica mesmo ao longe, basta que exista, nem que seja à distância de uma fotografia tirada à socapa, por uma máquina qualquer. O delírio de vocês nos braços dele é mentira minhas queridas, é todo ele uma grande mentira. O que vos acontece é fenómeno puro da vossa imaginação, um território perigoso e falso, nos momentos que se confundem desde a alma até ao sangue, que acaba a pulsar mais depressa do que o explodir de uma bomba atómica, numa Hiroshima ai tão perto. Aviso-vos, parem com isso, não é por mim, é por vós. Qualquer dia esvaem-se em pormenores construídos no mais puro dos desejos, impossível de concretizar nos dias da vossa existência. E deixam a juventude morrer enquanto o senhor dos olhos verdes olha de frente para uma outra mulher, e lhe faz tudo o que nem sequer povoa a mais recôndita das vossas vontades, a mais ousada das vossas práticas, a mais impossível de todas as safadezas, enquanto lhe diz ao ouvido que a ama. E ama, que é o mais tramado disto tudo. Façam-se à vida, andem, passeiem muito que a morte é certa, e a imaginação tem toda a graça quando se pode concretizar. Vão por mim, que sei o que digo: a imaginação é a melhor coisa do mundo, quando se pode concretizar.

9 comentários:

  1. Ameaça insegurança e azedume. Nunca a li tão má

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito. Mas consigo ser bem pior.

      Eliminar
    2. Acredito que consiga mas haverá necessidade de ser irracional?

      Eliminar
    3. Não sei se será correcto a cara leitora analisar a minha racionalidade. É simples, quem gosta lê, que não gosta, não volta. E quem quiser perder tempo sobre emoções, pode fazer uma pesquisa e descobrir o que é racional ou irracional, emocional, intelectual, entre outras formas de expressão.

      Aqui uso o que quero. Bem vinda :)

      Eliminar
  2. Tão verdade!
    Fez me sorrir ler este post. Eu devia dá-lo a ler a umas tantas pessoas.
    Beijinho CF

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que sorriu, Maria João... :) Um beijinho, bom fim de semana para si...

      Eliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores