terça-feira, 12 de novembro de 2013

a louca

A louca subia a ladeira a empurrar o carrinho de mão. Um xaile apertado ao peito, um lenço apertado ao pescoço, uma vida apertada à loucura. Sempre simpatizei com ela. Mais do que a mitologia explica-me as insolências das almas, os descaros dos espíritos, as imprudências dos corpos, os desfasamentos do mundo. Só os fracos precisam dela, admito: um norte onde cabe o inexplicável, o indizível, o improvável. 

(Os fortes admitem tudo dentro de uma certa normalidade.) 

2 comentários:

  1. Será?! Cá no fundo tenho muitas vezes a impressão que é ao contrário - são os fracos que admitem porque os fortes, sem medo, atiram-se para a imensidão do espaço :) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha olha... E não é que me fazes pensar??? :)

      ( Mas ainda assim, acho que não... :)

      Eliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores