domingo, 4 de agosto de 2013

nós

somos tantos que até assusta.

4 comentários:

  1. Na verdade deveria haver um, ou mais - consoante o número de utentes -, psicólogo/a em cada escola, em cada lar da terceira idade, e vários à disposição em cada câmara para dar apoio às vítimas seja lá do que fôr. Os psicólogos são fundamentais para a saúde pública mesmo que certas mentalidades retrógradas achem que não.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é. Mas não há ainda esse reconhecimento, e a mente tem forma de quase escapar, ao contrário do corpo. O quase é o lugar onde tudo de mau pode acontecer, mas é preciso que a consciência disso emerja de uma vez...

      Eliminar
  2. Também concordo que os psicólogos são essenciais nas instituições, na grande maioria das escolas deveria existir mais que um, nos lares, nos hospitais...mas hoje em dia as mentalidades retrógradas acham que nada é preciso e ninguém é valorizável...serviço público de saúde? educação? onde? o que está funciona muitas vezes no meio de muitas fragilidades e graças ao trabalho daqueles que dão muito, na pior das condições e no maior dos riscos, mas mesmo assim são considerados dispensáveis, preguiçosos, pouco profissionais...

    Se já não havia psicólogos antes, agora dificilmente vai haver... Antes ainda havia alguma coisa... Agora não há nada... C.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas é exactamente agora que eles são precisos. O problema está no depois disto tudo, que é quando as crises passam e as pessoas baixam a guarda, que surgem os verdadeiros problemas... :((

      Eliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores