sexta-feira, 23 de agosto de 2013

o simples é belo

( Place des Vosges. Fotografia do Paulo )

Os jardins são qualquer coisa de sossegado, dividem-se em caminhos de areia e passeios de pedra, e encontram-se neles pessoas deitadas em cada recanto devidamente ornamentado a cores de petalazinhas perfumadas. Há os que escondem gente que lê debaixo de um tempo quente, e os que envolvem namorados que caminham de braço dado com um chapeau que resguarda narizinhos delicados, tementes ao sol. Mais um pouco e a bengalita rodava, era o quanto bastava para fazer relembrar o cenário dos filmes do antigamente, assim se tapassem ligeiramente as donzelas que hoje apreciam um bom bronzeado sem excessos de pózinhos Guerlain. As pernas senhores, todos haveriam de apreciar as pernas. Cruzam-se em sombrinhas de arbustos pequeninos perto do chafariz, e baloiçam-se, demoradas, nos minutos da tarde que chega lampeira e curiosa, à espreita. Suas donas reviram-se, para um lado, para o outro, sempre devagar. Uniformizam a tonalidade em cadeirinhas de encosto reforçado e borrifam a pele com a miraculosa eau thermale, que vai compondo o corpinho magro e torneado que se deleita sob os olhos do sol e de todos os outros que possam passar perto: os curiosos, os invejosos, os desejosos, os meros contempladores. Eu observo tudo e todos. Olho demoradamente os pormenores do fotógrafo que centra a árvore centenária que trepa o monumento, e encosto a cabeça no braço atento ao meu rosto sossegado; espreito em segredo a mãe que embala um bebé que chora no colo fusional; miro o velhinho que passeia o passeio dos justos naturalmente cansados. No final do trajecto, os caminhos errantes das palavras soltas contrariam ligeiramente a singela contemplação mental, mas só um bocadinho: o requinte dos sentidos também mora na simplicidade.

4 comentários:

  1. Que lindo!! O texto. Mais até do que a foto, o Paulo que me perdoe :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antígona, não sei, mas acho que o Paulo te perdoa... :))

      Eliminar
  2. Paris é lindíssima... dá para voltar sempre uma e outra vez,sem que te canses... só por apreciar a rua,os jardins,o rio... veneza pode ser considerada a mais romântica cidade do mundo... do que conheço das duas esta não fica nada atrás e tem outro encanto... da proxima experimenta o frio do inverno,é deliciosa nesta altura.. eu hei-de experimentar o verão:) beijinho C.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso, querida C, a Paris volta-se sempre... E o Inverno, por frio que seja, de facto encanta-me, pelo que me parece uma excelente altura para a revisitar...

      Eliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores