quarta-feira, 24 de setembro de 2014

saber

Por vezes acho piada ao mundo doutorado que encontro por aí. Ao sapateiro indignado que sabe muito de política, ao professor interessado que conhece a fundo o ensino especial, ao clínico geral que é master em psiquiatria, ao povo no global, que adora a expressão "de médicos e de loucos todos temos um pouco", com especial incidência na medicina, claro, por alguma coisa a loucura aparece sempre no final. Nessas alturas apetece-me rir e perguntar aos sábios onde arranjam tanta sabedoria, que livros lêem, que caminhos percorrem, que leis escutam, que multidão analisam. Nunca chego a tanto, limito-me a ler, a ouvir, a tentar perceber o porquê de tanta sapiência a céu aberto ainda não ter alcançado o efeito desejado. Depois estanco no limite da minha ignorância, pois claro, jamais me estará ao alcance perceber a fundo os fundamentos de grandeza de quem me cerca. Bem vista as coisas, e curiosa que sou nestes assuntos, arriscaria dizer que na maioria das vezes nem o próprio sabe, para que quer tanto saber. 

4 comentários:

Deixar um sorriso...

Seguidores