quarta-feira, 3 de julho de 2013

incoerências

Decisões sérias deverão ser tomadas no recato da calma, longe de visibilidades e acima de tudo devidamente mastigadas. Para o bem e para o mal temos dois pólos distintos, que nem sempre se encontram. Há um deles excepcionalmente emotivo, sensível ao ponto de nos fazer escolher o lado errado em reacção. Ups, já está. Cabe a cada um o auto conhecimento, perceber se estamos perante uma emoção ponderada ou irascível, esta última perfeitamente capaz de deixar transparecer tudo o que se deveria esconder. A incoerência interna e resguardada define a pessoa para a própria pessoa. É saudável, portanto. A incoerência externa define a pessoa em sociedade. E pode muito bem ser o fim do caminho. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixar um sorriso...

Seguidores