quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

O meu filho a perguntar-me se eu sabia o que era isto. Ó, se sei...


- Despacha-te garota. 
- Vou já avó, só mais um bocadinho
- Tenho de ir bordar, está o lençol à espera. 
- E eu tenho de andar aqui a cheirar, não percebes? Vai à tua vida, anda, e isto era já eu em pensamento. Logo apareço, antes que se faça noite escura. 

( Não ia, nunca ia. Esperava-me ansiosamente à porta enquanto tagarelava com as outras que guardavam crianças que se emaranhavam em livros usados e lidos por muitos olhos. Ainda hoje gosto de ler livros velhos, não fosse a mania das anotações nos cantos e a ânsia de os folhear sempre que me apetece, não comprava nem um.)

6 comentários:

  1. Que boa memória... amo os livros e perder-me em alfarrábios que ainda existem (felizmente).

    Sorrisos...

    **hoje no meu blog ofereço sorrisos**

    Ana

    ResponderEliminar
  2. Ofereça Ana. É do melhor que se pode dar. :))

    ResponderEliminar
  3. :) Boas memórias, certo Sputnick?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito boas. Era tudo bom, a começar pelo cheiro dos livros :)

      Eliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores