sábado, 14 de fevereiro de 2009

O Nosso pequeno grande cérebro...

Bom dia; dos namorados diga-se...
Logo pela manha descubro, e porque o assunto é de ordem, que a Neurologia concluiu em estudos recentes que o Amor activa apenas cinco muito pequenas zonas do nosso cérebro... E que à medida que elas são activadas, automaticamente o nosso sentido critico fica como que adormecido...
Ora aqui está um dado cientifico que explica muita coisa; só o sentido critico adormecido justifica alguns deslumbramentos daqueles que ninguém entende, senão o apaixonado...
De qualquer forma, surge-me a pergunta, como será possível, que uma ínfima parte do nosso cérebro seja responsável por tamanhos sentimentos???
Hum, Senhores Neurologistas com todo o respeito permitam-me discordar... Não me parece possível que o sentimento que nos faz cegar, cambalear, chorar, rir, cantar, vibrar, emburrecer, e ao mesmo tempo acordar para a vida, caiba em tão pouco espaço... Pela minha parte, e embora leiga na matéria, parece-me que em certos casos o nosso Cérebro fica todo apanhadinho... Se não vejam: Se há quem consiga ser feliz com um marmanjo barrigudo, que chega a casa e senta-se no sofá, com uma cerveja na mão e um comando de TV na outra, a berrar coisas do tipo: "Maria a janta já tá feita?", desculpem, mas não consigo encontrar outra justificação, pra tanta felicidade... Só mesmo o apanhamento e atrofiamento total do Cérebro... Qual pequenas zonas afectadas, qual quê...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixar um sorriso...

Seguidores