domingo, 14 de abril de 2013

foi ontem o dia do beijo, e aqui nada se disse... ou de como a arte também nos faz falta.



Clark Gable e Vivien Leigh em 'E Tudo o Vento Levou' 

Este parece que é memorável. No cinema existem alguns outros, e a verdade verdadeira é que revelam, apenas, a grande competência representativa dos protagonistas. Mas nunca reúnem a realidade de um beijo. Ideamos pela construção cinematográfica, bem como por outras artes. Valem pela projecção, e revelam-nos a verdadeira importância do imaginário. É que o que criamos na mente, também se alcança. Pode chegar até a ser palpável: nos nossos sentidos.

6 comentários:

  1. Certo, mas também há beijos muito competentes, ou não...? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É claro que há beijos competentes. Devidamente enquadrados em sentimentos a sério. Mas competentes, não sei se gosto. Do termo, entenda-se. Competência não sei se rima com beijos. Beijos são intensidade e emoção... Não te parece? :)

      Eliminar
  2. Beijo, beijo, é aquele que quando termina, deixa a aquela sensação de tontura, e de se perder o norte, com a consequente vontade de outro :)

    ResponderEliminar
  3. Não é, de longe, um beijo que aprecie no cinema. :) Coisas :) Podia dizer muitos, outros. Quanto ao real, a cada um o seu beijo, e o que quer que seja que através dele sintam:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não é dos meus favoritos. Mas é dos mais falados e por isso o trouxe... Quanto ao real, também estou completamente de acordo. :)
      Beijinho

      Eliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores