quinta-feira, 23 de maio de 2013

é andar...

Martim é o miúdo empreendedor que anda nas bocas do mundo. Ou nos ecrãs dos computadores, desde que em directo falou e disse, na televisão. O que me espanta não são miúdos capazes, há-os por aí em toda a parte, é abrir os olhos e querer vê-los. Não me espanta sequer a senhora erudita, que ninguém lhe tire o mérito, também as há e ainda bem, sou acérrima defensora da competência do género. O que me espanta verdadeiramente é uma certa espécie de inocência tardia, que sujeita quem supostamente sabe mais a levar troco, vindo directamente da adolescência que nos permite dizer ao mundo o que é o mundo, sem embaraços ou análises de consequências. Isto passa com a adultez, normalmente responsável também por uma certa cautela em lidar com a liberdade desmedida e já quase esquecida, não vá ela atingir-nos. Por vezes, quando nos pomos ao jeito, reavivam-nos a memória, ora pois. O que é branco é branco, não é descorado. E se houver quem não goste, temos pena, é andar. 

2 comentários:

  1. Olha, esse puto tem dado que falar, mal e bem. Eu fiquei feliz por ver um miúdo com iniciativa mas já há quem diga que aquilo foi tudo combinado, que o puto é filho de Alguém e que as coisas não são o que parecem.
    Por mim, fiquei triste por constatar, mais uma vez, que por vezes as coisas não são realmente o que parecem e, por esse facto, fico eu sem saber onde está a verdade :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha pois, não sei. Se assim é, é uma grande armação de facto. Não me pareceu, mas enfim...

      Eliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores