sábado, 24 de setembro de 2011

Tachos

No País do tacho, nem percebo porque se espantam as gentes, com o facto de uns estudantes do ensino recorrente, conseguirem média de 20, e entrarem directos para medicina, sem passarem pelas provas de acesso. Isso foi possível num colégio particular que os apelida de excelentes. E quem sou eu para duvidar?? O que me intriga mais ainda, é que ninguém se contente com o simples, mas nojento é verdade, facto, de que o País é feito destas merdas, ops, desculpem, destas coisas a modos que estranhas. E aqui como em tanto, cada um vale-se do que lhe está ao alcance da unha, de preferência provocando um qualquer acto de trapaceio, capaz de o elevar aos objectivos pretendidos, ao invés de lutar de forma decente, que custa e dá trabalho. É sempre muito mais fácil usar o estatuto, a cunha, o tacho, o raio que os parta. E isto, numa postura quase generalizada, protagonizada também pela gente que nada exige de si, senão mestria em subir facilmente, mas que depois reclama explicações, quando por qualquer coisa detecta o mesmo no comportamento alheio. É uma particularidade do oportunismo, que só sabe bem ao protagonista. É bonito, realmente. Só não percebo, é porque é que é estranho.

2 comentários:

  1. Pois é...uma merda digo-te eu! cada vez ando mais desiludida com isto. E não creio que seja uma questão de estado de espítito... :(

    ResponderEliminar
  2. Quando dizes "que os apelida de excelentes" não estarás antes a dizer "cujos apelidos são excelentes", ou "influentes" ?

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores