segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Devaneio a modos que...

Nem bem entendo a expressão dia de cão. Chego, e o meu dorme no sofá, onde se refastelou o dia inteiro, intervalando, quiçá, pelo passeio, o almoço, a ladradela à caniche vizinha. Quanto ao meu, nem falo. Provavelmente, e com muito mais precisão, os canídeos dirão uns aos outros, em dias negros, tive um dia de Homem. E aí sim, a coisa faz sentido.
Concluindo, não tive um dia de cão. Mas queria muito tê-lo tido.

3 comentários:

  1. LOL Essa expressão refere-se aos cães vadios que esgravatam o sustento. Graças a Deus, e a certa gente, cada vez há menos. Não tardará muito que "dia de cão" será um daqueles dias em que nada nos falta, nem o descanso :):)

    ResponderEliminar
  2. Ahahahahhahahahahha
    Conseguiste arrancar-me umas boas gargalhadas o que tem sido missão impossivel por estes dias.
    bjs

    ResponderEliminar
  3. Os dias de cão das minhas cadelas, fazem-me inveja. Para não falar das preocupações que nunca têm :):)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores