terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Ouvi dizer

Não percebe o que o deixa assim, pobre diabo se julga. Olhá-la nem por isso o sossega, julgou em tempos, ser possível esquecer o amor que os uniu, e que num dia, após muitos outros, fraquejou. Nesse dia, julgou-se liberto para sempre, num sentimento de espírito livre há muito desejado e nunca conseguido, que antes dela, nem bem sabia o que ambicionava, e depois dela, a prisão a alguém que muito queria, em luta tremenda contra o seu ser indómito e livre, assaltaram-no forte. Temos destas coisas estranhas, que desejamos o desconhecido com uma força atroz, para depois, quando lhe damos alma e corpo, nos assaltar um vazio sem fim, porque a sensação imaginada está longe da que se experimentou realmente, e que se traduz num amargo estranho, por vezes fraco, por vezes forte, num misto de terror e perca, de solidão e desespero.
Talvez por isso, mas sem certezas, recolheu ao conhecido. Eu já antes sabia, que o Mundo todo, não é para qualquer alma. Reviveu, ainda que ao longe, todas as sensações sentidas, todos os beijos já dados, todos os sonhos sonhados, e quis tudo outra vez, num desejo aguçado pela distância, maldita, que o acende como mais nada, pela ausência, pela solidão. Ali ficou.
Não mais a pode ter ao perto, pelo que o que por ora experimenta, é uma amalgama de sensações opostas, que intercala num corpo fraco e amargurado, a uma velocidade alucinante. Ora amor, ora ódio, que indiferença, é coisa que não lhe consegue ter.


"A cidade está deserta,
E alguém escreveu o teu nome em toda a parte:
Nas casas, nos carros, nas pontes, nas ruas.
Em todo o lado essa palavra
Repetida ao expoente da loucura!
Ora amarga! Ora doce!
Pra nos lembrar que o amor é uma doença,
Quando nele julgamos ver a nossa cura!"

Ornatos violeta

3 comentários:

  1. "Ouvi dizer
    Que o nosso amor acabou
    Pois eu nao tive a nocao do seu fim.
    Pelo que eu ja tentei
    Eu nao vou ve-lo em mim
    Se eu nao tive a nocao de ver nascer o homem.
    E ao que eu vejo
    Tudo foi para ti
    Uma estupida cancao que só eu ouvi
    E eu fiquei com tanto para dar
    E agora nao vais achar nada bem
    Que eu pague a conta em raiva
    E pudesse eu pagar de outra forma
    Ouvi dizer
    Que o mundo acaba amanha
    E eu tinha tantos planos p'ra depois
    Fui eu quem virou as paginas
    Na pressa de chegar até nós
    Sem tirar das palavras seu cruel sentido.
    Sobre a razao estar cega
    Resta-me apenas uma razao
    Um dia vais ser tu
    E um homem como tu
    Como eu nao fui
    Um dia vou-te ouvir dizer
    E pudesse eu pagar de outra forma
    Sei que um dia vais dizer
    E pudesse eu pagar de outra forma"

    ResponderEliminar
  2. Só o amor cura, nada mais senão o amor. Faz falta amar, faz falta perdoar, faz falta esquecer faz falta recordar. Só o amor...

    ResponderEliminar
  3. Concordo, só o Amor, Amor com "A" grande tudo pode, e tudo consegue, ainda que muitas vezes esse "Amor" passe por estabelecer a distância.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores