domingo, 9 de outubro de 2011

Ignorância

Por vezes repugnam-me certos comportamentos. Como se em mim residisse o direito à indignação sob as atitudes alheias, ainda que me toquem de perto. Normalmente nessas alturas, realizo um exercício interno de utilidade considerável, e ultrapasso a repulsa. É que por norma, encontro sempre elementos justificativos o suficiente, para a execução de determinadas atitudes. Que são necessárias aquela pessoa, fazem-lhe falta ao equilíbrio. Quanto mais não seja, e em caso extremo, a ignorância.

1 comentário:

  1. Outro que me ataca frequentemente é a vergonha alheia: a vergonha pelas vergonhas que outros fazem e delas não se apercebem ou, apercebendo-se, delas não se envergonham.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores