sábado, 1 de setembro de 2012

Gata

Vou ter uma gata cinzenta de nome Julieta. A ideia não foi minha, nem da gata, nem do nome, que isto nestas coisas há que deixar o mérito nas mãos dos donos, não aprecio cá glorias que não me pertencem. A gata é cinzenta muito clara e já a imagino a passear-se por entre os móveis, os livros, os brinquedos espalhados e os anéis que esqueço em cada recanto da casa. Em tempos tive uma. Pequena, clarinha, de uma elegância inigualável, como de resto têm todos os gatos. Dormia enrolada nos pés da minha cama e era deveras assustadora para quem vinha de fora. Arqueava as costas, eriçava o pelo, e virava qualquer coisa semelhante a um felino mesmo à séria, do qual era melhor guardar distância. Já tive outros animais assustadores. Um cão um tanto ou quanto arisco, um peixe que devorava outros, uma tartaruga que mordia dedos, não sei, temo que seja da casa, ou, vá lá, da proximidade com a minha pessoa. Por mor das coisas, desta troquei-lhe as voltas. Era para vir o gato, vai vir a gata, que por certo seria o macho o verdadeiro detentor do síndrome ruim, por ser ele que me estava destinado. Bom, também foi pelo nome. Julieta ficou-me no goto, a alternativa Romeu não tem metade da graça, e para além disso uma gata é sempre uma gata, que por certo guardará o respeito necessário aos anéis, aos sapatos e a outras divindades femininas que encontrará espalhadas cá por casa. O Óscar, o pobre do Óscar é de momento a minha única fonte de ralação. 

( As cadeias alimentares são de facto uma coisa fantástica. Juntar animais que se comem uns aos outros é sempre um risco, mas dizem que se a convivência for precoce não haverá problema. Um a zero ganham eles sobre nós, que conseguimos sempre crescer ao lado de alguém, e vai-se a ver, em determinadas provações, aniquilamos quem temos ao lado sem dó nem piedade e completamente conscientes, ou seja nada a ver com instinto. Gosto de animais, no fundo é isso. Muito embora, e apesar de tudo, também possa gostar muito de gente.)

10 comentários:

  1. Uma Gata? Muitos parabéns. Mas cuidado com os sofás e cortinados. Boa tarde CF, também se usa. Um sorriso e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. Mas nunca fiando! nunca fiando! se calhar convém que faças as devidas apresentações e que as primeiras visitas sejam vigiadas, não vá a Natureza falar mais alto :):)

    P.S. - boa sorte com os sofás e os cortinados. Sapatos, malas e anéis é mais brincadeira de cão :)

    ResponderEliminar
  3. Nunca fiando, claro :) Antígona, sei de gatos que gostam da sapataria e das malas. Isso, seria uma drama :)

    ResponderEliminar
  4. 'Tadinho do Óscar: confrontado com duas gatas em casa... Será que se vai fingir de morto...? :):)

    ResponderEliminar
  5. É uma estratégias, sim senhor. Mas não vai ser preciso que aqui reina a regra da boa convivência. A gata tem de se habituar ao peixe e o peixe à gata. Digo eu... :)

    ResponderEliminar
  6. Mas não achas que duas gatas são demais para o pobre e pequeno coraçãozinho do Óscar...?

    ResponderEliminar
  7. Acho. E agora?? :) ( Aceitam-se ideias masculinas para gerir a saúde do meu peixe :)

    ResponderEliminar
  8. Fácil: sê, apenas e só, meiguinha. E se um dia tiver de ser, explica-lhe que tudo faz parte de um grande plano do Criador por bem da... cadeia alimentar, claro. :)

    ResponderEliminar
  9. :) Eu sabia que podia contar com a tua ajuda :)...

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores