quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Poder? Poder tem por exemplo o meu peixe Óscar, o único que me atura todos os dias sem interrupção, e que ainda assim me parece imensamente feliz...

Por vezes penso no poder. Aquela coisa que se sente no corpo, que primeiro se engole, depois se digere, para logo de seguida se alojar amplamente de forma forte e doentia. Pode ser só internamente sem qualquer transposição para quem está de fora, podendo porém emanar, contaminando o redor que até fica a julgar que daquela pessoa emergem ideias das boas, capacidades reais, vocação superior para fazer determinadas coisas. Confesso que me causa algum desconforto quem assume o papel com unhas e dentes, ainda para mais quando o faz sem o verdadeiro sentido de competência que deveria existir. No mínimo, deveria existir. 

( Ele há com cada coisa na vida. Esta pretenção na maioria das vezes, não será mais do que debilidade. Poderoso, poderoso, ninguém o é, ainda que virados e remexidos possamos ter qualquer coisita, por ínfima que seja, que nos diga que sim. Uns apoderam-se dela e outros não lhe ligam nenhuma. Têm mais do que fazer, provavelmente será isso.)

2 comentários:

  1. A utilização do Poder devia ser ensinada nas escolas para bem de toda a sociedade. Restava saber quem a leccionava :)

    ResponderEliminar
  2. Sim Paulo, essa selecção seria um problema e daqueles :)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores