quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Das mudanças...


Nós não somos estanques. Sim, é certo que determinados traços de personalidade são de tal forma nossos, que nos perseguem para sempre, ou quase. De qualquer forma, recuso-me a acreditar, nesta dimensão, na teoria da eternidade e da consistência. Se a admito noutros campos, este, definitivamente não é um deles. Repugna-me um pouco, o triste discurso de que as pessoas não mudam nunca. Como se o destino tivesse aqui uma palavra demasiado forte, e uma vez determinado, nada haverá a fazer. Cruzes credo, que limitação. E os nossos erros e aprendizagens, onde encaixam, para que servem?? Para que se diz por aí que necessitamos de bater com a cabeça? Se é para ficarmos iguais, desculpem lá, mas preferia não bater. É que bater com a cabeça, doí como um raio. Ou nos dá qualquer coisita, ou não quero mais.
Somos donos do nosso caminho, e apraz-me saber, que tenho possibilidade e poder de mudança. Do que eu quiser, e muito bem me apetecer. De cor preferida, de terra, de clube ( esta seria difícil), mas também de traços mais profundos da minha personalidade, como de opiniões e mesmo de atitudes.

Percebo que existem valores e carácteres vincados, e que dificilmente se alteram. Concordo. Mas há medida que vou vivendo já vi mudanças de fundo, tão inesperadas que me espantaram. Mudanças que decorreram de experiências de vida, que nos fazem equacionar qual a melhor postura, e até pôr em causa verdades, até aí quase absolutas.

Entristecer-me-ia de certo, se acreditasse em futuros dados à partida, e ainda, que com a idade tudo piora. Tem de existir evolução.
Se à medida que se avança no caminho, só tendêssemos a piorar, ou na melhor das hipóteses a manter, se calhar era bom não dizerem por aí que somos seres superiores. A ser verdade esta teoria, seriamos era um bocadinho limitados. Digo eu...

5 comentários:

  1. Nem é uma questão de piorar, simplesmente as pessoas são como são (boas ou más) sendo que a idade tende a vincar cada vez mais os traços da sua personalidade. Digo eu...

    Beijoca!

    ResponderEliminar
  2. Ai rafeiro... N concordo nada contigo.

    ResponderEliminar
  3. Quem fica estático, quem não evolui ou o faz no sentido inverso, refinando o que de menos bom existe no seu carácter, tem uma vida triste e desajustada. Existem, é um facto. Mas não são a maioria. A maioria aprende com a vida, adapta-se e evolui, cresce.

    ResponderEliminar
  4. Se somos seres racionais, logo à partida significa que estamos em constante evolução. Ora, se evoluimos mudamos comportamentos, personalidades e afins. Quer seja para melhor ou pior, mas mudamos.

    ResponderEliminar
  5. Já diz uma máxima da história ou alguém da História (sei lá!) que: "a Revolução é o motor da História". Se as nossa vivências nos fazem e permitem evoluir, porque não somos seres estáticos, então também nos farão mudar, quer tenhamos ou não essa percepção.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores