quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O meu coração. Não, não é um post romântico. Antes fosse...


Eu tento, juro que tento, mas o meu coração de mãe anda perdido algures numa escola perto. Tento racionalizar, mas em vão. O bandido volta e meia anda lá. Nem aqui me obedece o sacana. Segundo dia, experimento alguma tranquilidade, vá lá, vou no bom caminho.
Acidentes de percurso no estaminé, que me obrigam a uma passagem que eu julgava rápida. Não foi, paciência Deparo-me com incongruências tamanhas. Logo eu, que não as admiro nadinha. Enfim, adiante. Regresso e atafulho-me nas ultimas tarefas que tinha planeado para as minhas férias. Tenho o fantástico dom de terminar férias sempre a precisar de outras. Uma das minhas qualidades, portanto. Para além disso, faço sempre uma quinta parte do que tinha planeado. O meu sentido de organização, concluo, é também fora de série. No meio de roupeiros, roupas e afins, eu e mais uma das minhas qualidades, uma poderosa alergia aos ácaros, damos um ar de nossa graça. Espirra para aí no meio da trapagem, que é castigo para quando dizes à boca cheia que tens pouca roupa. Diz lá isso agora, vá, vá ( Isto é a minha consciência, caso ainda não tenha percebido. Só ela tem o direito de me falar assim)...


Quase me perco no tempo, no meio de malas, casacos, chapéus, e outras delicias; o que significa que já me consegui desligar um pouco do rebento.

Acordo para a vida, pouco antes da hora de o ir buscar. Perguntas da praxe; tudo tinha corrido bem. Aprendeu isto e aquilo, teve Inglês e Desporto. Guardo para o fim o pior. Gosto de começar pelo bom, ao contrário da maioria das pessoas. O almoço... À parte dele ser um terrível comilão, uma das minhas aflições é sempre essa. Uma fraqueza, admito. Também tenho direito. Comeste amor? Pergunto meio ansiosa... Sim mãe. Sopa, peixe. Só não tive direito a sobremesa... Não?? Porque filho? Não sei. Era pêra, e não me deram...
Fiz um esforço, e o meu coração não ouviu esta. Liga o avô, e a história é rebobinada pelo pequeno. Desliga. Passado cinco minutos o avô liga de novo. Filha, o menino não teve pêra, sabias?
Siiiim pai, eu sei que ele não teve pêra... Modos que é isto...

3 comentários:

  1. lollollollol mãe sofre e eu, no meu caso também :)

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. É arranjar outro, é arranjar outro :):):)

    ResponderEliminar
  3. Ohhh
    Coração de mamã nunca descansa mesmo.
    Um beijinho solidário e um bom fim-de-semana

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores