quinta-feira, 1 de março de 2012

...

Tenho vindo a ouvir dizer, que a mulher deveria estar mais tempo em casa. Tal como tenho vindo a ouvir que se deveria dedicar mais à família. Ora o que eu acho, e que não passa obviamente de uma mera opinião, é que todos nos deveríamos dar mais. Uns aos outros, por assim dizer, e salvo as devidas dádivas que possam existir adequadas. As mães à família e aos maridos, os maridos à família e às esposas. Os amigos aos amigos, as pessoas no geral umas às outras. Até a D. Maria das finanças, sempre mal disposta, se poderia dar mais, mas não sabe disso. Encontra-se centrada nela, fechada dentro de um corpo que julga seu, mas é nosso. Com as devidas limitações, claro, os corpos da sociedade são nossos. Deveriam sempre saber dar e receber, só assim tudo funcionaria.

2 comentários:

  1. Para mim a a questão não é tanto o "dar", porque temos mesmo de dar para sermos felizes, acho que é mais ter tempo/disponibilidade para dar mais e melhor. É claro que é possível dar "bem" mesmo com pouco tempo, mas é muito melhor e mais eficaz se tivermos mais tempo para aproveitarmos os filhos e o marido e a família e os amigos. É das coisas que tenho mais saudades da vida antes de trabalhar e ter filhos: estar horas à conversa, conseguir iniciar, mediar e acabar uma conversa sem interrupções, seguindo o fio à meada!
    já me alonguei demasiado, boa noite!
    Cata
    http://longoriotranquilo.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Também desejaria ter mais tempo em casa,sinceramente, ter menos horário fora ( e dentro, já que trago montes de trabalho para casa). É muito desgastante a gestão de tanta coisa ao mesmo tempo, não creio que gira harmonia, exterior e sobretudo interior. Mas concordo quando dizes que todos deveriam dar mais:) Dar mais sim. Agora, como diz a Cata, ter mais tempo eu, pessoalmente como mulher, gostaria.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores