quinta-feira, 1 de março de 2012

De como a vida é propícia a inversões...

Acabei de subir muito na consideração de alguém, apenas porque esse alguém descobriu que sou licenciada. Passei a ter sorrisos, nomes abonatórios, dedicações e atenções, enfim, tudo a que tenho direito por estatuto. Ela, exactamente na mesma proporção, quiçá até em maior escala, acabou de descer na minha. Não suporto o estatuto fácil, e esta estranha conversão directa que proporciona. Eu sou exactamente a mesma, ela igualmente. Mas agora eu tenho um Dr, coisa que me compõe e me torna mais gente. Gente maior, por assim dizer, muito maior do que era ainda há pouco, apenas Carla.

( Este era um dos postes em que me apetecia dizer um palavrão aliado ao estatuto. Não o faço claro, com muita pena minha, uma vez que uma pessoa com um Dr no início não deve dizer dessas coisas.)

3 comentários:

  1. As pessoas devem olhar para os outros como pessoas. Antes de qualquer grau académico está uma pessoa que não difere assim tanto de nós.

    Um abraço

    Pedro Ferreira

    ResponderEliminar
  2. Pode pois! Até pode mais! Uma pessoa com estatuto pode quase tudo LOL

    ResponderEliminar
  3. :):) Belo remate final:)

    Carla, pois infelizmente isso acontece muitas vezes. Refiro-me a não se ter importância nenhuma se não se tem um estatuto, um nome,ou algo parecido. Sei bem o que isso é. Os jeans sozinhos não convencem parte deste mundo.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores