segunda-feira, 20 de abril de 2009

Isto hoje tá bonito tá...


Há pessoas assim, que levam tudo a rigor; levam a rigor as obrigações dos outros, levam a rigor as horas marcadas por si, levam a rigor o que lhes dá jeito, e não interfere com os seus interesses, em suma levam a rigor aquilo que é fácil e bom... Depois deixa-se de ser rigoroso nos horários a cumprir, nas obrigações que lhes competem, e no que não dá jeito; chamo a isto cata vento, cara de feijão frade, dois pesos duas medidas, ou para ser mais exacta, falta de carácter, de personalidade, de carisma, e de responsabilidade... E ainda mania que se tem o rei na barriga e que não se precisa de nada nem de ninguém porque se é perfeito... E se há conceito que me irrita é o de perfeição, ainda mais quando se está a anos luz de qualquer coisa semelhante... Caramba, será que não têm espelhos em casa? Não seja por isso, tenho espalhados pela minha, pequenos, grandes e assim assim... Sou vaidosa, e decerto me farão falta, mas dispenso algum em nome do meu altruísmo, em prol daqueles que coitaditos desenvolveram alguma limitação, e que precisam de andar com um de pendura, pra se mirarem em momentos de pseudoglória... Se bem que o que precisavam mesmo era de uma consciência. Mas isso não posso partilhar; é demasiado preciosa para andar por ai a desperdiça-la; ainda mais por quem acha que a tem melhor do que a minha... É que ser rigoroso não é para quem quer, é para quem pode...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixar um sorriso...

Seguidores