sexta-feira, 20 de maio de 2011

Vales de arroz

Estão sentados debaixo de uma sombra. O pai, beberica cervejas umas atrás das outras, enquanto conversa com alguns outros semelhantes. A mãe, embala uma criança de colo, enquanto a empanturra de leite, na hora do jantar. Falam dos apoios que o estado cortou, e da aflição, maior ainda, em que se vão encontrando a cada dia que passa. Não ouvi a seguinte conclusão, mas já a vi, diversas vezes, em contextos miseráveis: Qualquer dia a criança não tem leite. Para o pai, haverá sempre cerveja. É por estas e outras, que eu sou quase a favor, dos vales de arroz.

2 comentários:

Deixar um sorriso...

Seguidores