segunda-feira, 25 de maio de 2009

Mérito ou erro, que seja mea culpa...


E penso ser este um dos motivos para eu gostar tanto de gatos...
Sou um pouco reservada, relativamente à minha vida pessoal; não sei se poderá dizer-se ser de família, mas, pelo menos outro espécime lá de casa, é tal e qual assim... Anos de vida que já passaram por mim, fazem-me concluir o porquê desta minha faceta, que considero não ser muito frequente, principalmente no género feminino. Concluo que tem a ver com o facto de ter opiniões muito concretas sobre a minha vida, e não admitir muito bem que venha esta ou aquela mandar bitaites, assim, só porque é giro. Não quero com isto dizer que não faço um desabafo, não conte uma ou outra situação da minha vida, ou qualquer coisa do género. Quer somente dizer que, quando contamos à giza de desabafo, seja o que for, ficamos de imediato vulneráveis ao que nos possam dizer; e eu não sou muito adepta do sentimento de vulnerabilidade. Portanto, ou estou quase a explodir para contar alguma coisa a alguém, e o faço, escolhendo criteriosamente a quem o fazer, ou normalmente guardo o que é meu, e da minha vida mais pessoal para mim, e para quem esteja directamente envolvido comigo no assunto. E depois, como que por castigo, ouço coisas giras do tipo tem a mania que é boa, ou ainda, pensa que resolve tudo sozinha... Não, não penso; penso somente que resolvo à minha maneira, e sem as opiniões alheias de quem, por muito boa vontade que possa ter, será sempre diferente de mim... É que eu sou daquelas que acha que a minha vida é para ser resolvida, e vivida por mim, e não por motivações e vontades exteriores. Coisas herdadas da minha avozinha, que diz que se não tivesse sido ela a escolher o meu avô, já tinha matado o desgraçado que o tivesse feito por ela... Assim, olhem, foi ela, mérito, ou erro crasso, mas sempre e só, de sua autoria... Não sei se me faço entender...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixar um sorriso...

Seguidores