sexta-feira, 7 de maio de 2010

Capacidades

As manhãs não deveriam existir, ou então deveriam, mas de forma mais calma. Invariavelmente, na hora da saída para a escola, o meu rebento tem mil coisas para fazer, das quais se destacam, escolher uma coisa para levar, procurar o boné, que não sabe onde ficou, encontrar aquele brinquedo que faz mesmo falta naquela hora, calçar os ténis, que já mandei calçar 10 vezes, mas ainda não houve tempo, assoar o nariz, porque espirrou, entre outras. Às vezes, perco uns segundos do meu pensamento, a encarnar a vizinha da frente que tem isto tudo multiplicado por três, e fico perplexa com a sua capacidade. Ou é isso, ou sou eu que sou fraca, hipótese a considerar, obviamente.

5 comentários:

  1. O problema está, e falo por mim, naqueles bocadinhos em que vamos ficando na cama, a pensar - só mais um bocadinho... :)

    ResponderEliminar
  2. Sputnick, és bem capaz de ter chegado lá :)

    ResponderEliminar
  3. Mas amanhã já é Sábado! Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  4. Pior que a ronha da manhã, é o deitar tarde.
    E por mais pressa que tenhamos, há sempre algo que fica por fazer. Nesta pressa citadina, qualquer dia, até deixamos o filho em casa sozinho.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores