domingo, 30 de maio de 2010

Livros


Hoje pediram-me uma relíquia emprestada. Emprestei, claro, não poderia dizer não a quem ma pediu, e apenas por isso. Emprestar livros, principalmente os que me prolongam, agonia-me. Em nada mais acontece. Desfaço-me de roupa, partilho malas, acessórios, o que for, com a tranquilidade suficiente, para não pensar mais no assunto. Chego a desfazer-me de algumas peças que amo, só porque me parece que alguém as ama mais do que eu. Mas os meus livros fazem-me doer. Têm notas, sublinhados, pensamentos, pequenos dizeres aqui e acolá. Meus, muito meus. Ele levou, e sei que me trás. Até porque ele mesmo, está sempre de volta.

3 comentários:

  1. Emprestar um livro, é como emprestar a nossa alma..
    :)

    ResponderEliminar
  2. E eu convencida que era defeito meu!!! Detesto, mas detesto mesmo, emprestar livros.

    ResponderEliminar
  3. Adoro os livros de Pedro Paixão, têm sempre qualquer coisa de romance sarcástico ahaha.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores