quinta-feira, 6 de maio de 2010

Pés


Ontem a minha amiga S., arranjou-me os pés. Tem umas mãos fantásticas a minha amiga S, tem uma sorte da treta, mas tem gente que a ama e sabe disso, o que já não é nada mau. Em casa não janto. Bebo um copo de leite com chocolate, enrolo-me numa manta aos quadrados e vejo televisão. Gosto de ver a clínica privada, onde todos se enrolam uns com uns outros e onde são todos muito felizes. Ou então se calhar, parecem. Sim, deve ser isso, se aquilo fosse mesmo a sério se calhar só pareciam. Enrolo-me com mais força na manta de pelo, e esfrego com os meus pés um no outro. Estão macios os meus pés, e continuo a esfrega-los um no outro. O pequeno já dorme e entretanto chama por mim, porque tinha sonhos maus. Deixo a manta na sala, apago as luzes e deito-me ao seu lado até que adormeça de novo. Depois do embalo, sempre doce como só ele, vou para a minha cama. Está gelada, com os lençóis de cetim cor de rosa às flores, quase tão macios como os meus pés. Gosto dos meus pés assim. Tivesse eu paciência, e não me desse a exaustão de estar com eles de molho e arranjava-os mais vezes. Assim, raramente lá vou. Talvez por isso ame tanto a maciez com que ficam. A rotina e a frequência matam muita coisa. A escassez acentua, a minha avó já dizia isto.

2 comentários:

  1. Não tenho o habito de arranjar os pés...são eles que me levam, são eles que me suportam mas nunca me lembro de os mimar, mas de vez em quando a minha filhota pega-me nos pés e massaja-os...é um verdadeiro momento de prazer para mim e para ela :)

    ResponderEliminar
  2. "Arranjar os pés" faz-me sempre pensar em cola, gesso e materiais do género.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores