terça-feira, 1 de junho de 2010

Absurdos

Do alto, olho-te, como se num pedestal tivesse, e tu me admirasses. És linda, dizes-me, entre outras palavras, todas elas de bem. E eu acredito, quanto mais não seja, porque o que mais me apetece ao momento, é acreditar no que me dizes. Perco-me. Não em ti, mas em mim, e na minha, ou melhor, na nossa, capacidade de acreditar sempre no que queremos muito que seja. Mesmo que o que queremos muito seja absurdo, é o que nós queremos e chega. E absurdos não existem, claro.

3 comentários:

  1. E por vezes são coisas tão simples.

    ResponderEliminar
  2. "Mesmo que o que queremos muito seja absurdo, é o que nós queremos e chega. E absurdos não existem, claro. "
    Estas duas frases passaram agora para a minha lista de leitura diária. São autênticos mantras.
    São uma verdade absoluta e incontornável.
    ;)

    ResponderEliminar
  3. Mesmo que os existam. Os absurdos. Pode este, não o ser.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores