quinta-feira, 3 de junho de 2010

Da praia...

A praia em dias amenos é o melhor sítio do mundo. Ou quase o melhor. Sente-se o vento, escuta-se o mar, e vê-se gente que salpica a areia de longe a longe, com pequenos aglomerados em sítios estratégicos e criteriosos. Estende-se a toalha sem incomodar ninguém, rebola-se nas dunas numa imensidão de espaço, que às vezes me falta, outras me cansa. Hoje faltava-me. Serve-me o morno da tarde, para observar em redor, o que me relaxa. Paro aqui e acolá, sem razão aparente. Destaco um Homem, sozinho, na casa dos cinquenta. Boné escuro, óculos de sol, e um ar misturado, de calma e de vida. Vejo o casal, já idoso, munido de um corta vento, vestidos até ao osso, e encostados, tão encostados de dar gosto de ver. A Mulher, por demais gorda, que come tremoços e pevides como se não houvesse amanha, enquanto o filho dela brinca com o meu. Vejo a jovem de biquíni reduzido, com um cabelo loiro de wax, inconfundível, e que é sem dúvida a rainha da praia. Tem consciência disso, embora de pouco lhe valha, que as ondas não estavam para surfar, e os surfistas escasseavam. O mar está cá mais perto. Vamos trava-lo, dizem praieiros, com uma convicção tamanha, numas palavras recheadas de esperança e medo. Que não nos vai levar a praia, isso é que não. Ingenuidade a deles, estranha de tardia, que julgam poder lutar com a natureza. Lutar podem, mas ganhar, só se ela assim o entender, mas deixai-os falar, que enquanto assim julgam e sonham mantêm-se ocupados, e a ocupação e o sonho são a saúde das gentes.
A brisa acentua e de que maneira. Vestem-se camisolas, arruma-se a tralha, comem-se os lanches, despede-se a brincadeira. Uma gaivota, mesmo na hora da abalada, voa por perto. Baixa lentamente, levanta qualquer coisa da areia e segue caminho, livre como só ela. Por escassos momentos, quis encarna-la, só para lhe sentir a alma solta. Anda mãe, vamos embora. A gaivota seguiu o caminho dela, e eu segui o meu.

3 comentários:

  1. E nos dias amenos ainda melhor. O bem que me faz à alma ir até ao Guincho e ver o mar revolto, a natureza no seu estado bruto. A mim faz-me ver bem qual é o meu lugar no mundo...

    Beijoca!

    ResponderEliminar
  2. Tens um pouco de Fernado Capelo em ti...
    Sesimbra estava mais que boa :)

    ResponderEliminar
  3. Ainda não pus os pés na praia, este ano :(:(

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores