quinta-feira, 24 de maio de 2012

Post cómico, só porque sim (Ou porque a situação o merece)

Aquela coisa de virarmos costas a oportunidades frutíferas e de mantermos o aferro na busca de impossíveis, poderia ser punido por lei. Ou deveríamos então, e em alternativa, sermos portadores de um qualquer dispositivo que nos avisasse por dentro, mal deixamos fugir pela porta aquela oportunidade que nunca mais vai voltar a aparecer. Já tive dessas. Instantes únicos, que de tão únicos nunca mais ocorreram. Os mesmos fazem com que, e na espera ansiosa de que cheguem novamente, eu volte a deixar escapar outros de igual importância, mais uma vez sem dar real conta da dimensão. Não me vou apelidar de nada em concreto devido a isto, não me apetece. Mas não se preocupem. Cá dentro, latente nas miudezas do meu corpo, o nome ressoa num eco possante e infinito.

( Se imaginarem animais de duas orelhas, quatro patas e talas nos olhos, correm o risco de estarem certos)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixar um sorriso...

Seguidores