domingo, 14 de junho de 2009

Desilusão...

De todos os sentimentos que já experimentei, o que mais me custa, mais me dói, e mais me revolta é o da desilusão.
Não entendo, não concebo, nem perdoo, a necessidade das pessoas em servirem-se de alguém quando lhes interessa, e quando esse alguém lhes dá prazer, seja ele de que ordem for.
Para mim, as pessoas serão sempre um Ser digno, a respeitar, e não um mero acessório, que utilizamos quando nos apraz, ou quando nos faz falta.
Pena que à minha volta, continuo a encontrar gente, que julga que as pessoas são para utilizar, quando estão por acaso mais fracos, ou quando a solidão aperta. Depois, nos momentos de glória, ou quando se sentem plenos, o outro fica esquecido, ou vai-se esquecendo, a pouco e pouco, sem uma palavra, sem uma justificação. Como se os sentimentos alheios fossem assim, sem importância; como se as pessoas fossem uma bengala, para usarmos apenas quando se coxeia; como se fossem os donos do mundo, e a sua vontade imperial, sem olhar a meios. Não interessa o que o outro espera, ou a ilusão que possa construir. A cada dia mais me pergunto, porque é que ainda me iludo...
Não peço muito, ou melhor, não peço quase nada. Não sou exigente, nem um bocadinho. Já fui, mas a vida ensinou-me a não ser... Apenas peço clareza de sentimentos, partilha... Pior, é quando essa clareza me é negada. Aí fico desiludida... E quando me desiludo, surpreendo, pela frieza, pela distância, longe, muito longe do meu padrão de acção habitual. Defesa, decerto...
Sou clara, limpa, custe a quem custar, doa a quem doer. Dou-me muito, quiçá de mais. Não preciso de tanto. Preciso tão somente de simplicidade... E ironicamente, esta simplicidade que ambiciono, apresenta-se como a maior complicação da minha vida...

2 comentários:

  1. Este post tocou-me bastante, talvez por me identificar bastante com ele.

    Parece-me que como evoluímos para uma sociedade onde tantos bens materiais se tornaram descartáveis (já não se manda arranjar, deita-se fora e compra-se outro), algumas pessoas deixaram-se contagiar por essa febre e agem desse modo com outros seres humanos. Não sei...

    ResponderEliminar
  2. Concordo com o que dizes. Obrigado pela visita. Só fiquei com pena de não poder visitar o teu...

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores