sexta-feira, 12 de junho de 2009

Dos perfis...


Há três perfis típicos de pessoas; entre, obviamente, muitos meios termos, que andam por aí, meio indefinidos, meio sem saber para onde pender, ou ainda, alternando graciosamente entre um e outro perfil. Passo pois a citar; começamos por aquelas pessoas que andam para a frente, sendo que, com maior ou menos dificuldade, para lá é que é Lisboa, custe o que custar, ás claras ou ás escuras, de costas ou de barriga. Muito bem, gosto deste.
Depois temos os que andam para o lado, tipo caranguejo, que é uma espécie que um tanto ou quanto me melindra, confesso. E existe ás pargas por aí; como se o mundo fosse um dado à partida, e o caminho seja sempre e só aquele, quer saiba bem, quer saiba mal. São avessos a mudanças, e a alterações. Não gosto lá muito do pressuposto.
Por último, e verdadeiramente preocupante, temos os que andam para trás, que, felizmente, não conheço lá muitos. De qualquer forma, os que conheço, chegam para o considerar, o caminho mais perigoso de todos. É aquele que se faz em sentido inverso; ou seja, a pessoa evolui qualquer coisa, experimenta novos caminhos, aspira outros patamares, e de repente, regressa ás origens, completamente, como se nada mais no mundo existisse.
E não será, perguntarão vocês, porque por vezes, os caminhos têm de ser percorridos, analisados? E será que no fim das análises, as escolhas não podem recair nas origens? Podem, claro que sim. Mau, mauzinho mesmo, é quando se esquece todo o caminho percorrido, toda a nossa História, tudo o que se aprendeu; como se a vida devesse ser feita assim, por fases e etapas que se eliminam, e não permitem que o nosso percurso nos ensine. Como se tudo fossem momentos isolados. Como se o passado não fosse nosso. E então revive-se, outra e outra vez; e vai-se andando para trás, não permitindo a abertura de portas novas, e acedendo somente ás que já se conhecem... Uuuiiiii, credo... Não sei como há quem viva assim... Mas que há, há... E olhem que eu cá não sou de intrigas...

2 comentários:

  1. Minha querida amiga CF, o passado nos é importante e tem que ser sempre consultado porque ele é a base na qual construiremos nosso futuro. Se está bem costruida a base, podemos com segurança partir sempre para a frente. Se algo está errado na base, somos obrigados a dar um passo atrás para repará-la. Reparada,segue-se em frente. No caminho para a frente, se tivermos problemas momentâneos, temos que dar os passos lado a lado, tipo caranguejo, enquanto pensamos como fazer para se sair dessa nova situação. Resolvido o enigma, retoma-se o passo à frente,abrindo novos horizontes e conhecendo o misterioso "novo", que difere de pessoa para pessoa,no surpreendente trajeto da vida.

    Adorei sua postagem. Essa sua idéia provocou quase uma carta minha. Para a psicologia é muito bom, não é?
    Beijinhos de filosofia de vida. Manoel Eduardo - Brasil.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores