segunda-feira, 29 de junho de 2009

Eu consigo, eu consigo...


E é também nestes dias, que a minha gula desperta significativamente. Quem por aqui passa, já se apercebeu decerto que tenho um sério problema com a dita. Sou gulosa, não escondo, pertenço a uma família de gente comilona, também já sabem. Mas já se aperceberam também, que tento ter o cuidado necessário a não ceder a caprichos, em nome da linha, e porque as mulheres têm de ser magras, e lindas e maravilhosas, e patati, patatá ( obviamente com excepções, não sou escrava de nada, portanto, também não vou ser da linha), pelo que travo sérias lutas, com esse pecadito (gula), dito mortal.

Hoje, logo pela manha, e na minha saga de abrir a pastana, tomo o meu cafézito, e inicio umas comichões, dignas de referência, nas minhas pupilas gustativas. É que em plena provocação, está um pastel de nata ( já devo ter falado neles por aqui, tal a fixação), que me olha languidamente, como que a querer dizer, não me resistes, não me resistes... Eu, do alto da minha determinação, não me dou por vencida, e luto, afincadamente com o malandro do pastel. Os meus sentidos despertam, assim, qual fénix renascida das cinzas, e entram na luta contra mim, assim, qual cão que não conhece o dono. Os meus olhos, teimam em olhar o pastel ( que nem sequer é muito bonito. Não me percebo, não me percebo...), o meu olfacto, inala o cheirinho, não só do pastel, mas de todas as mil delicias que povoam aquele antro de pecado, que recentemente, se resolveu postar, muito pertinho do meu habitáculo. Isto não se admite. O meu paladar, por sua vez, não sente o gosto ( só porque não lhe permito) mas quase; nos entretantos, já salivo, assim, tipo cão... Não o oiço, é um facto, mas oiço o meu id, a gritar desalmadamente, come-o, come-o...
O que me valeu foi o meu ego, e o meu super ego, um cadinho mais comedidos, e conscientes da realidade, que não me deixaram cometer tamanha loucura logo pela manhã. Há, e a nova publicidade de uma conhecida marca de gelados, que me fez sabedora de que, um aparentemente inofensivo pastel de nata ( isto deve ter a ver com o tamanho. Achamos que é pequeno, logo, não tem mal, mas tem, e muito), pode chegar a ter 220 calorias ( E foi a partir daí, que eu, que já adorava pastel, passei a venerar...). Pasmem-se, meninas, pasmem-se!!!
Bem sei, que o dia não parece ter melhoras; até ao final, ainda devo ter agendadas umas 300 batalhas destas, com a minha gula. Acho que vou tentar negociar com ela, e contentar-me com um mais inofensivo Pãozinho de Deus ( bem, digo eu inofensivo. Eu também acreditava na candura do pastel). Também não é mauzito...
Mas estou zangada. Tenho vontade de processar a marca que me consciencializou para o verdadeiro perigo do pastel de nata. Eu até nem sou muito da ignorância. Mas aqui, até me ficava benzinho... Era, não era???

6 comentários:

  1. Ai, como eu entendo perfeitamente a batalha contra o pastel de nata... enão só. Segundos antes de ler este post cedi ao chocolate de caramelo, que guardo na gaveta da secretária cá do escritório. Não fui forte o suficiente :(

    ResponderEliminar
  2. Ohh linda.... como eu te dou valor nessas lutas.
    Também sofro desse problema
    Jinhos
    Até já:):)

    ResponderEliminar
  3. É uma luta de todas nós, portanto :)))

    ResponderEliminar
  4. Olha que sempre ouvi dizer que um bolo de arroz tem mais calorias que um pastel de nata! Não sei se é verdade ou não mas sei uma coisa, para quem gosta muito de doces, se os comer logo a seguir a uma refeição o organismo não absorve tantas calorias :) Pelo menos é o que dizem os entendidos.

    ResponderEliminar
  5. As batalhas da gula são do pior, é que normalmente perco sempre esta guerra :)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores