terça-feira, 13 de abril de 2010

Conquistas

Minha querida, conseguiste, parabéns. Ninguém te olha com admiração porque és espalhafatosa, antipática e brejeira, e isso deve doer como um raio. Passas por mim várias vezes por semana, e olhas-me de lado, claro, a mim e a toda a gente, e sem me conheceres pessoalmente. Pareces qualquer coisa semelhante a um trovão alucinado, o que só demonstra o teu desconforto. Por isso, hoje resolves-te chamar a atenção, e conseguis-te, ao ofender-me alto e bom som, só porque eu não vi o novo sinal a proibir o estacionamento, na porta da escola do rebento. Então passas-te por mim, e balbucias-te umas coisas estranhas. Depois, ao saíres do parque, abris-te o vidro do teu carro, metes-te a tua cabeça loura e esvoaçante de fora, e berras-te alto e bom som, isto aqui ninguém tirou o cóóódigo.
Nem te respondi, claro, que eu gosto de ser discreta. Mas fiquei feliz por ti, pois toda a gente te olhou, e tu gostas disso. Conquistas, é o que é.

2 comentários:

  1. Lá está, temos que ir ver aquele filme "homens que matam cabras só com o olhar", quem sabe aprendemos a técnica e o mundo iria ser tão mais feliz!
    Beijico

    ResponderEliminar
  2. Chamas-lhe conquista, eu chamar-lhe-ia peixeirada, ou vá, muito mau humor...só para dar o benefício da dúvida.
    ;)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores