quinta-feira, 29 de abril de 2010

Feira do Livro


Começa hoje a feira do livro. Gosto de livros desde que me lembro de ser gente. Temos muitos lidos, muitos que gostava de ler e ainda não li, tenho ainda alguns, já lá em casa, ainda por ler. Tenho manias aliadas à leitura, como de resto em muitas outras coisas, que sou quase maníaca em algumas vertentes. Não gosto, por exemplo, de ler livros emprestados, embora já o tenha feito. Gosto de capas com algum significado, ou lisas de todo, e desdenho por completo, as que tenham um qualquer desenho ou foto de filme já realizado. Gosto deles maneirinhos, que o tamanho em exagero, não me inspira qualidade. Já li alguns bem pequenos que me fizeram delícias, de histórias concisas, mas fantásticas. Prefiro por norma obras escritas por Homens, em detrimento da escrita feminina, embora não seja um critério determinante. Não gosto de folhas recicladas, perdoem-me lá, esta limitação ecológica. Gosto de um toque suave, e o áspero aqui, não me sabe nada bem. Gosto de Histórias corridas, de cronicas soltas, de escritas cheias e de escritas caóticas. Gosto de livros infantis, de contos e de sonhos. Não simpatizo muito com histórias de amor, pelo menos as típicas, mas existem algumas fantástica, que me apaixonaram tremendamente, talvez por fugirem à facilidade extremista, como o Dr. Jivago, por exemplo. Obras de referência, tenho algumas, que já li, e reli, e que ainda penso voltar a ler. O Amor nos Tempos da Cólera e o Relato de um Náufrago, de Garcia Marquez, pela história e pela escrita, são duas delas. Muitos de Pedro Paixão, pelo caos de ideias. Siddhartha, de Herman Hesse , pelos ensinamentos, o Perfume, de Patrick Suskind, pela genialidade, o Principezinho de Saint-Exupéry, que por ora leio diariamente com o meu filho, nem preciso dizer porquê. Entre outras, muitas outras.
Sempre me lembro da feira no Eduardo VII, que sou entradota, mas não em demasia. Gosto das barraquinhas, do cheiro, do espírito. De andar por lá, com toda a calma do mundo, olhar, folhear, comprar, ou não que não importa. É mítica, para mim. Há coisas míticas, e a feira do livro é uma delas. Eu, que nem sou amante de feiras, tirando mesmo a das vaidades.

1 comentário:

  1. Também ando a ler o Principezinho de Saint-Exupéry à I., comprámos na feira do lvro da escolinha dela e ela está deliciada.
    Adoro Pedro Paixão, Kafka, Marguerite Duras, Haruki Murakami....etc.... mas não tenho lido muito ultimamente.... :(

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores