sábado, 10 de abril de 2010

Relaxe

O relaxe de fim de tarde primaveril é bom. Bom daqueles mesmo bons, como um brigadeiro ou coisa assim, e não um bom morno e simplório. Na mesa, um Jornal e um Compal ligth de manga laranja, fresco e amarelo. Miúdos jogam bola no relvado, incluindo o meu, que se esgueira no meio dos outros, com um boné posto à malandro. Na mesa do lado, um casal conversa de forma amena, coisa que aprecio. Não a conversa amena, não o casal, mas a junção das duas coisas. Um velho, com ar de avô, está sentado numa sombra a olhar o vazio. Também, tal como ele, gosto de olhar o vazio. Antagónicamente, é no meio de nadas e de vazios, que encontro respostas para quase tudo.

2 comentários:

  1. Aproveitar o único momento que sabemos ter: este. Foi a sensação que fiquei ao ler o teu post.

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Fazem tanta falta uns nadas e uns vazios de vez em quando :):)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores