sexta-feira, 16 de abril de 2010

Disposições e consequências

As disposições alheias são estranhas. Como se tivéssemos a obrigação de aceitar estados de espírito, ao sabor de quem os sente. Cada um é livre de agir como bem lhe aprouver, claro que sim, mas tenho para mim, que o respeito pelo sentimento do outro é uma coisa bonita. Uma virtude a cultivar, caso se nasça sem ela, que ninguém nasce perfeito, e ainda bem, pois nada andaríamos cá a fazer, se não tivéssemos um caminho de evolução. Pena que isto do respeito ao outro, perde sentido em inúmeras frentes, surgindo desrespeitos por aí, em relações familiares, de amizade, pessoais. Julgo ser importante um treino, que aconselho amiúde, e que me auto sujeito, se necessário. Na dúvida, inverto papéis, e tento entender o outro. Pode parecer difícil, mas não é, pelo menos, tendo em conta o benefício recorrente. Muitas das vezes, sem essa inversão, ficamos aquém, do que fazemos sentir, e chegamos a ser injustos, quase inadvertidamente.
É que me sinto, por vezes, injustiçada, e não gosto mesmo nada disso. Não culpo, não exijo, e tento arrumar. Mas ando repleta de arrumações internas, e breve, muito breve, não tenho espaço para mais. E é nessas alturas, em que o espaço escasseia, que algo tem de sair, para novas coisas encaixarem, antes que surja o caos. Sou tolerante, é um facto. Mas sou demasiado boa a expulsar, quando a tolerância se esvai. E com demasiado boa, quero dizer eficiente, entenda-se. Logo, o bom, seria respeitarem-me. Para depois, não correrem o risco, de ficarem de boca aberta, no acto da expulsão, como que a querer dizer, que não entendem, que não esperavam, e que não tinha de ser assim. Nada tem de ser assim, claro, mas pode ser, se o vosso umbigo for grande demais, e deixar pouco lugar aos outros umbigos moradores da terra, incluindo o meu. É que isto de se esquecerem que eu também tenho umbigo, não me soa mesmo nada bem. E logo eu, que até tenho um umbigo tão jeitosinho.

1 comentário:

  1. Nem sempre é fácil nos colocarmos no lugar dos outros. E por tal nem sempre é fácil entendermos os outros, as reacções e comportamentos. Todos nós temos dias ou momentos em que não estamos bem, sentimos-nos tristes ou mesmo irritados e descontamos nos outros. Mas existe uma frase referente a isto, quando passares por mim e eu não te responder lembra te esse foi o dia que mais precisei de ti. Também pode ocorrer nós estarmos bem, felizes, e os outros não compreendermos isso. Acontece de tudo, só que nem sempre á facil compreender isso. Somos todos diferentes, diferentes formas de reagir conforme as situações, e todos nós temos aqueles momentos em que explodimos. Sei que não é bom é engolirmos muito coisa, pois mais tarde dá mesmo nisso, em explusão. E depois os outros não nos compreendem, pela nossa reacção, mas no fundo foi um acumular de situações.
    Bem sei que o que estou escrevendo nada pode ter haver com o que escreveste, mas foi o que pensei agora com base no que escreveste.
    Mas sim! tens razao não podemos olhar só para o nosso umbingo, mas também para o dos outros, entar compreender os outros.
    Fica bem!!!!

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores