sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Desistências


Inerente à nossa condição de Ser Humano, temos limitações. Coisas que queremos realizar e não conseguimos, objectivos que queremos atingir e não nos é permitido. Falo em coisas possíveis, não em utopias. Mas mesmo essas, as possíveis, ás vezes não são, por isto, ou por aquilo. O caminho é de luta constante, de perseguição, de esforço. Ás vezes, não muitas, mas algumas, penso no quando é sensato desistir. Eu já desisti, em algumas situações. No entanto, deixa-me amiúde a sensação, de que talvez fosse sensato ter lutado mais um pouco. Ténue esta linha de acção. Não gosto dela.
Diz-se por aí que as desistências são próprias dos fracos. Serão, em certos casos. Outros há, em que são próprias dos fortes. Dos muito fortes. Porque há desistências, difíceis como um raio. Em que é mais fácil continuar caminhos errados, que encarar incertezas e caminhos alternativos. E são essas as desistências que não são para todos.

1 comentário:

  1. Não são mesmo. Desistir é abrir mão de qualquer coisa, sempre. E isso é dificil mesmo com daquelas coisas que sabemos já estragadas. É preciso coragem para abrir a mão e largar de vez.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores