sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Nomes e assim...

É comum o uso de nomes estranhos, quando se verbaliza carinho. O meu pequeno, já foi pitufo, salabicanço, pininho, e outras coisas, que quase me soam a estranho, quando as escrevo. Mas amo dizê-las quando o abraço, ou lhe pego ao colo. A minha mãe, decerto também me chamou coisas destas, mas não me lembro de nenhuma. Mas lembro-me de outros. Que já me chamaram, ou chamam, enfim.
Diziam-me, em amena cavaqueira, no jantar de fim de ano, com um tema sacado não sei de onde, que acham estapafúrdio que se chamem nomes assim. Principalmente nomes como Boneca, ou outros que tais. Porque lhes pode ser atribuído um sentido pejorativo. Porque se pode considerar que boneca é uma coisa. Com que se brinca, para depois se largar num canto. Porque cada pessoa tem o seu nome, e pronto. Nestas coisas das opiniões, sou compreensiva. Não tento impor razões, ou pontos de vista. Oiço, e respeito. Mas aqui, entre nós, digo-vos que acho o mais completo disparate. Primeiro, porque revelam sempre cumplicidade. Verdades e significados, só por dois conhecidos. Depois, porque demonstram carinho e ternura, ou qualquer outro sentimento bom, que se sinta no momento.
O tal boneca, já foi usado para mim, mil vezes. E eu acho que é doce, como não há. Pejorativo? Não me parece. Mas e se for? Pode ser boa a obscenidade. Dita na hora certa, pela pessoa certa.

2 comentários:

  1. Olá!
    Há alguém que me costuma chamar-me boneca todos os dias e mais que uma vez em cada dia. Eu gosto... Para mim é uma palavra sempre 'dita na hora certa, pela pessoa certa'...

    ResponderEliminar
  2. Seguramente, pela pessoa certa.
    "Quem sabe faz a hora, não espera acontecer"

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores