segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Dispensava...

Essa coisa do desemprego anda por aí, ao desbarato, a assolar o pessoal. E não percebo muito bem, porque é que gentes do meu ramo, teimam em que hei-de largar o meu estaminé, e rumar para o deles. Já estive indecisa. Já ponderei, pesei prós e contras, e já disse não. Arrumei o assunto, que tanta dor de cabeça e comichão nos piolhos me deu. Agora, resolvem voltar à carga, com nova proposta. E não é pela minha extrema competência, que não sabem se tenho ou não. Nem pelos meus lindos olhos, que são castanhinhos do mais banal que existe no mundo. Cá para mim, é teimosia exacerbada, desmedida, e apostada em baralhar a minha cabecinha, tadinha, tão cheia de indecisões.

É um tema delicado, e que respeito muito. Perdoem-me o tom de brincadeira. Foi à giza de distracção, estou a precisar. É que eu, como de resto quase toda a gente, também sei o que é procurar emprego sem ele aparecer. E esta Empresa, que agora tanto me quer, já me disse que não uma vez, admitindo outra pessoa. Com todo o direito, obviamente. E essa, é uma das razões, que me faz agora querer dizer não. Embora por outras, me apeteça dizer sim. Dilemas. Dispensava-os. Isto serve ainda para perceber que a vida não é bem certa. Ás vezes queremos um e não temos, outras vezes surgem dois.
Vendo pela positiva, tenho a possibilidade de escolha. Pior, é quando a indecisão se instala, e nos faz adiar decisões. A modos que estou assim.

2 comentários:

  1. Eu ando cá com a minha cabeça à voltas com o meu trabalho....aiiiiiiiiiii...só me apetece arrancar cabelos!!!!

    ResponderEliminar
  2. Bem, nesse caso que tal uma moeda ao ar? Ou... desfolhar um malmequer? :):):)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores