quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Simples

A vida só é má quando exigimos demais dela. Tenho para mim, que isto de ser feliz, ter prazer, e aproveitar o que nos aparece, é do mais psicológico que existe, retirando, obviamente, castrações de força maior. Estudei mesmo no ramo certo, embora ás vezes ache que não. Mas acho que não, somente porque me transforma numa Licenciada em Ciências Sociais, que não entra nas classes de elite, nem nas classes dos bons assalariados, tendo apenas cabimento, na classe dos que muito fazem, e pouco ganham com isso. E isto neste mundo dos nossos dias, por muito que se diga que não, é um problema sério e aterrador. Vale-me a capacidade de valorizar as coisas. De me analisar, mesmo nas minhas divagações descabidas, que são mais do que muitas. Se eu não fosse dotada na matéria, não sei onde encaixaria tanto devaneio. Consigo perceber que há coisas simples, como um sussurrar no ouvido, um afago no cabelo, e dois olhos que nos miram, que chegam por si só. Sem apêndices, sem sons de fundo escolhidos a dedo, e sem muitas outras coisas, exigidas por muitos.
Sinto-me feliz por conseguir contrariar aquele estúpido ditado antigo que diz que em casa de ferreiro espeto de pau. Há alguns com os quais simpatizo, mas este, não é um deles. A minha Pessoa, é a sua negação profunda, juntamente com outras, como os Médicos que curam as suas próprias maleitas, ou os mecânicos que arranjam os seus carros.
Se eu seria assim se fosse Advogada? Hum, acho difícil. A valorização do simples, não está tão facilmente ao alcance, dos que lidam com pormenores concretos e concisos, salvo as devidas excepções. A abstracção e relativização da realidade, é mais fácil para quem trabalha com a imensidão das mentes, com pessoas, com ideias e com sofrimentos.
Consolem-se entretanto as outras, com a posição de elite, o salário chorudo, e outras vantagens que decerto terão. Também não ficam nada mal, convenhamos.

1 comentário:

  1. Sim, a valorização do simples não é para todos, e nada tem a ver com conformação. Contudo, concordo que com o aconchego na carteira, se fazem autênticas maravilhas. Haja vontade e imaginação :)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores