quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

excessos

ás vezes sinto-me intolerante. defeito assumidíssimo, entre outros, que surge, principalmente, quando me dou em demasia. não que espere algo em troca, quando me dou. isso seria egoísmo. mas a extrema passividade de reacção, perante algum esforço que exerci, no sentido de alguém, perturba-me. a ausência de um sorriso, ou algo assim. como se o caminho que percorri, não raras vezes sinuoso, não fosse nada. e fosse exactamente igual, a ter ficado quieta. concluo, no entanto, que o maior defeito, não é a intolerância. é a dádiva desmedida, mascarada de qualidade. é um excesso e chega.

4 comentários:

  1. Darmo-nos, está bem.
    Mas sempre, olhando a quem.
    Olha, hoje tou numa de A.Aleixo :)

    ResponderEliminar
  2. reconheço-me aqui.
    às vezes é bom sabermos quando o mais é demais.

    ResponderEliminar
  3. Faço minhas as palavras do Sputnick...
    ;)

    ResponderEliminar
  4. A ingratidão é feia, seja em que circunstâncias for. Para ela só pode haver intolerância.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores