segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Frutas, patos e outros assados


Quem me conhece sabe que adoro cozinha. Um adorar estranho, mas ainda assim, um adorar. E digo estranho, porque nunca cozinho, se for só para mim. Acho um desperdício, uma perca de tempo. Num dia de real fome, sou capaz de mexer um ovo, ou algo assim. O pequeno homenzinho lá da casa, é do mais básico que existe. Carne grelhada, peixe, um qualquer estufado. Um bacalhau no forno, ou um arroz mais elaborado, já fica no prato. Pouco me deleito, portanto, com esta minha arte, que apenas surge em algum jantar de amigas, ou nas festas da família.
Acabo por ora de descobrir, uma qualquer receita de pato, que me parece fantástica. Parece-me desta, que perco a minha tradicional preguiça, e cozinho algo para mim mesma. Se não for hoje, amanha, ou assim, porque os meus dentes querem muito entrar naquele pato, e quando eu quero muito, quero muito, pronto. Só cheguei a esta conclusão da minha preguiça intensa, há pouco. Muito pouco, embora a minha mãe já me tivesse chamado a atenção para ela, ideia que eu sempre desprezava. Agora, que me ponho bem no assunto, confirma-se de facto. Só isso justifica, por exemplo, o facto de eu não comer fruta em casa. Raramente o faço. Não que não goste dela, ou assim. Mas porque me dá mais trabalho a descascar, do que prazer a degustar. Sou um ser estranho, portanto. Eu, que até sou mimosa comigo, e que me trato bem. Respeito as horas de sono, não como gorduras, ponho creme todos os dias. Cozinhar para mim, é que... E logo eu, dada a gulodices e assim. É a malvada da preguiça, pronto. É um defeito, eu sei. Mas é meu.

1 comentário:

  1. lol como te percebo :) eu adoro cozinhar e é horrível cozinhar só para mim :(

    bj
    teresa

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores