terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Magias assim

Estranho o meu filho quando o vou buscar aos avós. Um doce, um amor, uma ternura, ao contrário das habituais refilices, do deixa só acabar o Benten, ou não vês que eu estou a brincar com o Putchi. Desço as escadas e insiste em trazer a mochila, em abrir-me a porta, e eu começo a ficar aflita. Algo de estranho se passa, por entre o sorriso rasgado do meu pequenote, por demais refilão para tanta doçura junta. É quando chegamos ao carro que descubro a magia. Sabes porque estou a ser tão teu amigo, mãe? Não querido, mas estou a gostar. Diz-me lá então. Porque a avó disse que tu hoje vinhas cansada. E que se eu me portasse bem, me dava uma prenda.

Há coisas mágicas de facto. A sinceridade dos pequenos é uma delas. Outra é a chantagem. Nos entretantos já perdeu o efeito, mesmo na hora de lavar os dentes. Enfim, nada é eterno.

2 comentários:

  1. Ainda que com uma pitada de chantagem à mistura, tens duas gerações preocupadas com o teu bem-estar. Sabe bem, não sabe?

    ResponderEliminar
  2. LOLOL

    Há coisas que são transversais!!!! Tenho aqui uma de 6 anos que é farinha do mesmo saco!

    :)

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores