sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Um dia feliz


Há sentimentos, não muitos, que não sei muito bem descrever. Por norma, são os mais magnos, o que me faz concluir que o ser humano atrofia com as grandezas. Perde as palavras, e assim. A minha avó, dizia que ser mãe, era a melhor e a pior coisa do mundo. Na época, olhava para ela com ar de intriga. Hoje, entendo na perfeição o que queria dizer. Só sentimentos deveras majestosos, potenciam preocupações e desgostos maiores. Uma situação antagónica de facto, mas que se a pesarmos a fundo, faz todo o sentido.
Faz amanha 7 anos que conheci a experiência. Que deixei de ser eu, para passarmos a ser nós. Que deixei de sentir o sossego da liberdade, para sentir um cordão umbilical, que os entendidos dizem que se deve cortar. E deve. Por fora, para os outros, para o próprio filho. Para nós, não me parece possível, mas quem sou eu. Noções como tempo, sítio, espaço, e tudo onde dantes me poderia perder, são agora conceitos ligados a alguém. Como se o Mundo e a minha vida, deixassem de ser só meus, para passarem a pertencer a mim e a outro. Um outro que se apoderou do meu Eu, mal surgiu no mundo, que me move, me faz correr, sorrir, chorar ou gritar, e afins. Me faz acordar, quando me apetece dormir. Me faz andar, quando me apetece parar. Me faz agarra-lo, encostar-me a ele, e sentir que estou no melhor sitio do Mundo. Uma das grandezas da vida, de facto, se não mesmo a maior. Gosto, e preciso dela, como do ar que respiro. Já senti e vivi muita coisa. Nada que se compare. Se a vida deixa de se viver por eles? Não, não digo isso. Vivemo-la, sem dúvida. Mas toldada. Sempre toldada. E julgo que mente, quem diz o contrário.
Acabando com o discurso lamechas, vou pôr mãos à obra. Amanhã tenho a casa minada de pequenas pestes aos gritos. Todas devidamente misturadas com avós, bisavós, e outras gerações assim. Parece-me, que há-de rondar o caos. Mas o que é isso para mim? Um dia feliz. Apenas e só, um dia muito feliz.

5 comentários:

  1. Qua a chuva e o frio, não te roubem o sorriso. Muitos parabéns, mamã CF :):):)

    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns :):)
    Quanto ao corte do cordão...ele é indispensável, os filhos não são nossos, são da vida e blábláblá...o pior é o resto! ando há 29 anos para cortar um e há 22 para cortar outro e ainda não fui completamente bem sucedida :)

    ResponderEliminar
  3. Este texto deliciou-me ....parabéns aos dois!!!!
    Um grande beijinho e claro, um sorriso
    :)

    ResponderEliminar
  4. Ainda que atrasados, dois beijinhos de parabéns. Um para o pequeno e outro para a mãe, claro!!

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores