sábado, 26 de março de 2011

Hiperactivos e outros que tais

Falou-se da Ritalina, um fármaco milagroso que põe crianças hiperactivas em estado de sítio, ou seja, quietas. Os diagnósticos, são muitas das vezes feitos por queixas de desassossego grave, ausência de concentração e défice de atenção, por pais ou professores que não têm em consciência a gravidade em apelidar comportamentos, de desordens. É hiperactivo, et voilá. Não deixa de resto de ser lugar comum, a vulgaridade em baptizar reacções ou atitudes, que surgem na resposta a uma vivência mais hostil de nomes pomposos, mas despropositados. Manifesta ignorância, muitas das vezes misturada com uma vontade subtil de se fazer reconhecer como sabedor de determinadas terminologias, que deveriam ser utilizadas em critério, por quem de direito, e não usurpadas por leigos que se julgam peritos. Acontece em tanto por aí.
No campo das desordens mentais, a delicadeza com que deveriam tratar-se determinadas patologias, entra em falência todos os dias, facto de fácil constatação, por quem se queira debruçar no assunto. Os pseudo técnicos espalhados pelo mundo, que se julgam no direito de diagnosticar doenças, deixam-me a mim numa perplexidade significativa, pois considero um verdadeiro menosprezo ao trabalho de quem o faz com verdadeiro conhecimento de causa, para além de um desrespeito supremo pelo atingido. Julgar-se-à, quem apregoa doenças aos outros, num patamar superior de existência, onde o conhecimento lhe surge sob alguma dádiva suprema, que atinge apenas e só determinados iluminados? Julgará que a sapiência lhe vem do senso comum? Ou será que usam os termos, na verdadeira ignorância do que dizem, sem sequer atingirem a dimensão do que proferiram? Acredito nesta última. Mas a bem da coerência, agradecia a parcimónia.
Perdoem-me algum excesso nas palavras. De qualquer forma, a crítica, dirige-se apenas e só a quem nela couber.

5 comentários:

  1. Bom isso só lhes acontece até se cruzarem com um de verdade :):):)

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Uma pequena crítica construtiva: os teus textos tornam-se chatos e nem sempre fazem sentido. A pontuação é extremamente deficiente, tal como o uso das figuras de estilo, o que "parte" o texto, tornando-o pastoso, incoerente. Devias melhorar o teu Português. Não as palavras, antes a estrutura gramatical.

    Xana

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Cara anónima Xana, qq crítica, desde que comedida e bem intencionada, é prontamente aceite. Não duvido, pelo seu discurso, ser esse o caso.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores