quinta-feira, 2 de junho de 2011

Papoila

Gostava de todas. Especialmente das papoilas. Puxava-lhe umas folhas, atafulhava outras entre elas, e nascia algo que se dizia ser uma boneca, com os cabelos situados no topo, feitos pelos rebentos pretinhos. Gostava ainda das fechadas, que se abriam nos meus dedos tal e qual bolinho da sorte, que umas das vezes eram rosas, outras já vermelhinhas, outras ainda, quase brancas. A elas juntava malmequeres amarelos, espigas e outras, que completassem um ramo que se queria colorido, e que murchava na tarde, ainda antes do cair do noite. Era giro, e eu, era pequena.

1 comentário:

  1. Agora, mesmo que se queira, não se conseguem as espigas de trigo! Papoilas ainda tenho por cá e malmequeres também, mas as espigas de trigo sumiram-se para a Europa :( uma pena...

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores