quarta-feira, 15 de junho de 2011

Pensamento

Após a tolerância, que me acompanha além limites, entro num ápice em exagerado estado oposto. A partir desse exacto momento, e quando a circunstância apresenta de facto carácter forte, capaz de me levar a tal transição, deixo de poder ouvir sequer falar. Irrita-me ainda ver, ou qualquer um outro tipo de sentir. Entro, por norma, num excesso de cordialidade. Num estado estanque, imune a sensações. Dificilmente me voltam a arrancar um sorriso. Esta indiferença chega a assustar-me. Não devia, que entra directa no âmbito da minha auto-protecção. Nada, é por acaso.

2 comentários:

  1. Sou assim por natureza, não por decisão. Por vezes chego a pensar no certo, no errado, nos limites. Mas quando a reacção é visceral, não há nada que consiga contraria-la...

    ResponderEliminar
  2. Estas coisas Sputnick, são sempre de natureza...

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores