quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Da estima...

Sinto, pelas mão de alguém que muito prezo, que, na generalidade, o Ser Humano necessita de abanões para sentir que determinadas pessoas lhe fazem falta. Por momentos, num rasgo de possível loucura, penso que as entidades que comandam o Universo, lançam pragas e sofrimentos a fim de abrirem olhos. Que de outra forma permanecem fechados, turvos, para quem tanto os quer bem. Não consigo comparar este sentimento à luz do que sinto. Eu, quando gosto, gosto sempre. Estimo, protejo. Não desdenho nem escarneço. Trouxe-me à memória outros episódios. Que vivi de perto. Muito de perto. Ás vezes inquiro-me, porque resolvi estudar mentes humanas. Há mentes e mentes, é certo. E existem algumas que, por muito que tente, parece-me que não irei abranger. As mentes ingratas são umas delas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixar um sorriso...

Seguidores