quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Do crescimento

Os olhitos dele raiados de lágrimas não deixam enganar. Está triste, magoado, não entende porquê. O meu filho, o meu querido filho, está a crescer. E consequentemente a perceber que nem todos os meninos têm os princípios bem definidos. Na sua inocência de criança não entende, obviamente a crueldade do mundo.
-Mãe, posso levar os meus Gormitti para a Escola?
- Podes, digo. Mas cuidado. Não é como com a A e a M que guardavam as tuas coisas na outra escolinha. Alguém pode mexer, ou acontecer qualquer coisa. Existem muitos meninos ali, remato.
- Não mãe, diz-me num descanso inocente. Não acontece nada.

Ontem, na sua chegada, e antes de conseguir saber como a escola correu, ou o que aprendeu, diz-me entre dentes que lhe tinham roubado quase todos os bonecos que tanto adora.

Ouvi com muita atenção a sua mágoa. Mas porquê mãe? Eu emprestava, eu até troquei alguns. Não percebo como alguém foi capaz de mos roubar.

Eu, já percebo. Na idade dele também decerto não percebia. Ele não viu, mas eu chorei por dentro. Não pelos bonecos, obviamente, mas pela desilusão que vi na sua carita de menino, que afaguei o melhor que pude, enquanto tentava explicar-lhe o que é tão difícil de explicar.

Eu sei, eu sei que isto é crescer. E crescer dói. Ainda mais num mundo de cão.

6 comentários:

  1. Uma mãe para além de ter de sofrer interiormente, tem de saber a diferença entre um gormitti e um pokemón, e outros que eu nem devo conhecer! Um filho completa tudo

    ResponderEliminar
  2. Podes crer. Ser mãe é mesmo uma tarefa muito dura ..... e muito boa, ao mesmo tempo :).
    Maria_S

    ResponderEliminar
  3. Dá vontade de virar o mundo ao contrário e abraçá-los com tanta força que nunca mais ninguém lhes volte a fazer mal...

    ResponderEliminar
  4. São estes "grandes" desgostos que eles vão aprendendo a viver...
    Bjinhos
    Até já :):)

    ResponderEliminar
  5. Dificil mesmo é manter neles a convicção que quem está errado não são eles.
    Um beijinho!

    ResponderEliminar
  6. A minha avó dizia-me - é bagagem para o futuro.
    E era.

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores