quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Da escola da vida...


Longa a conversa, onde o passado emergiu, e doeu, como se fosse presente. Porque há coisas na vida que doem sempre, por muito que as julguemos resolvidas, que as tenhamos armazenado nas entranhas do nosso ser. Essencialmente porque aprendemos com elas. As agruras são isso mesmo, boas professoras. Deixam marcas indeléveis, que nos perseguem no tempo e nos fazem manter a distância. Para não repetir, para não tornar lá. As paredes estão vazias, é certo, as portas fechadas. Pela janela entra uma nesga, teimosa, perturbadora, que nos tira o sono e o sossego. Por vezes atenua, para, oportunamente, emergir de novo, e nos iluminar o suficiente para evitar caminhos em falso, pisadas traiçoeiras, enfim. A nesga atingiu-me certeira. Sou incrivelmente boa aluna. Pelo menos na escola da vida.

2 comentários:

  1. muito obrigada :) essa imagem é linda, linda.

    ResponderEliminar
  2. Olá,

    Gostei imenso do seu blogue. Acho que tem uma escrita muito agradável. Vou passar cá mais vezes. Aliás, já sou seguidor. Convido-a a visitar o meu blogue: interjeicoes.blogspot.com

    Escrevinhador

    ResponderEliminar

Deixar um sorriso...

Seguidores